terça-feira, 28 de agosto de 2012


Não, não me venha falar de paixão. 
Paixão entorpece a alma 
embriaga os sentidos 
alucina o juízo 
deixa o corpo em brasa. 

Não, não me fale de paixão. 
Não me fale de coisas 
que prefiro não sentir. 
Dói querer alguém assim 
sem saber como chegar 
sem saber como fingir 
sem saber como sair. 

 Não, não me venha com tua fome 
ora de mim, ora de ti. 
Desse teu espelho que te refleti 
como tu te imaginas para mim. 
Não me queira nas coxas, 
nem me tenhas tua. 
A paixão que arde em mim 
é fogo em extinção. 

 Lu Pessoa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário